O CBD na UE – a última actualização política

tingey injury law firm veNb0DDegzE unsplash 520x400 1

Nos últimos meses, tem ocorrido uma revolução silenciosa na indústria do CBD. No meio da pandemia do COVID-19, os regulamentos em torno do CBD na UE têm vindo a mudar, com o resultado final um enorme passo em frente para a indústria.

O que ocorreu?

Anteriormente, a Comissão da UE planeou reavaliar o canabidiol (CBD) e classificá-lo como droga do Programa 1, juntamente com outros narcóticos proibidos. Isto alinharia o regulamento com a Convenção Única das Nações Unidas sobre Estupefacientes, adoptada em 1961.

No início deste ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) tinha traçado um quadro completamente diferente, nomeadamente que o CBD não tinha nada em comum com as drogas ilícitas que de outra forma seriam enumeradas na Convenção.

Agora, em Outubro de 2020, vem o alívio com uma surpresa positiva: numa votação no Parlamento Europeu, como parte da reforma da Política Agrícola Comum (PAC), uma maioria dos delegados votou a favor do aumento do conteúdo permitido de THC nos produtos de CBD para passar de 0,2% para 0,3%.

A história da regulamentação do cânhamo

O cânhamo serviu anteriormente como fonte comum de alimentos, fibras e material de construção na Europa durante mais de 2500 anos, mas pelos tempos modernos, as restrições às práticas de cultivo começaram a ser postas em prática. Legalmente, o cânhamo industrial foi equiparado à marijuana e as mesmas regras aplicadas a ambos, impondo a proibição do cultivo.

Oferta de boas-vindas

omente para novos clientes, oferecemos o seguinte código para 12% de desconto em seu primeiro pedido.
* Válido para todos os produtos da Nordic Oil

Óleo de CBD 15%
Icons/UI/fast-delivery Entrega rápida
Icons/UI/plant Feito pela natureza
Icons/UI/security Pagamento seguro

A diferença decisiva está no teor de THC das plantas: enquanto a marijuana tem um teor muito elevado de THC (entre 5-25%) e é altamente psicotrópica, o cânhamo industrial tem um teor de CBD (cannabidiol), com um teor naturalmente baixo de THC.

Até aos anos 90, porém, foi sempre aplicado um valor limite de 0,3% de THC ao cultivo do cânhamo na maioria dos países europeus. Em 1999, por insistência da França e com o desejo de unificar a política agrícola em torno da cultura do cânhamo na UE, o valor foi finalmente reduzido para 0,2%.

A nova regulamentação é útil?

De acordo com a EIHA (Associação Europeia do Cânhamo Industrial), esta é uma decisão há muito esperada. O Presidente da EIHA, Daniel Kruse, disse da decisão que o cânhamo tem servido como uma importante matéria-prima durante milhares de anos e tem sido descartado durante décadas como uma pequena e insignificante cultura.

Ele acrescentou que o novo regulamento era particularmente benéfico para a diversidade: novas variedades podiam ser introduzidas no mercado mais facilmente e as várias diferenças climáticas dentro da UE podiam também ser tidas em conta.

Se os delegados tivessem decidido de outra forma, isto poderia ter sido o fim para a indústria de CBD, mas também para muitos agricultores de cânhamo e empregos directa ou indirectamente ligados à indústria.

Então, o que acontece agora?

No final de Outubro, o Parlamento Europeu votou a sua posição negocial sobre os três regulamentos que moldam a PAC e as práticas regulamentares.

O texto será objecto de negociações com a Comissão Europeia e o Conselho, tendo em vista encontrar uma posição comum a adoptar no próximo ano.

A Comissão Europeia já tinha manifestado a sua oposição em Julho de 2020, pelo que resta saber se se juntará à votação do Parlamento no próximo ano, a fim de criar uma nova onda de política sobre a canábis.

Conecte-se com usuários de CBD no Facebook
Quer saber mais da experiência de outros usuários do CBD? Você tem perguntas sobre o CBD? Há um grupo ativo de CBD no Facebook.

Publicado por Paula Stipp

Nascida em São Paulo, Brasil, Paula é formada em Publicidade e Propaganda e hoje mora em Munique, Alemanha. Começou sua jornada com o CBD há quase dois anos na Nordic Oil. Além de sempre se atualizar sobre as novidades do CBD, Paula também compartilha sua experiência com seus clientes de Portugal e do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *