Será que o CBD afectará o meu apetite?

Food breakfast

Para aqueles que estão prontos para começar a integrar o CBD numa rotina diária, uma das perguntas mais frequentes é se o CBD pode ter algum tipo de efeito sobre o apetite.

Como o CBD vem da planta da canábis, muitas pessoas associam o CBD à sensação de estar “mocado” e de ter “o apetite descontrolado”. A ‘fome descontrolada’ é uma experiência normalmente associada à canábis por uma boa razão. Embora esta investida de desejos e apetite acrescidos possa ser o efeito secundário de um consumo excessivo de THC, um aumento do apetite e dos desejos não são efeitos secundários do uso da CBD.

O apetite é estimulado pelo THC. O THC liga-se ao nosso receptor C1, conhecido como o nosso “caminho da recompensa” e pode induzir a fome. A “fome voraz” ou descontrolada é o fenómeno atribuído ao consumo excessivo de THC, quer seja utilizado medicinalmente ou de forma recreativa. A maioria dos casos de fome voraz é o resultado de padrões irregulares de consumo de alimentos, ou de consumo de THC com o estômago vazio.

No entanto, ao contrário do THC, o CBD não afecta o apetite. Em vez disso, liga-se ao nosso receptor CB2, e verificou-se que tem impacto no sistema digestivo como parte do sistema endocanabinóide maior (SECB).

O que significa quando nos sentimos com fome?

Se sente ou não fome depende em grande parte das hormonas presentes no hipotálamo. Se tiver um estômago vazio, uma hormona chamada ghrelin é criada e libertada para o receptor C1, o que nos leva a querer recompensar o nosso sistema com nutrientes para o manter a funcionar. A ghrelin é um peptídeo indutor do apetite cérebro-estômago, comunicado ao longo do nervo vega. É libertada quando o estômago não tem nada para digerir e envia sinais ao seu hipotálamo dizendo-lhe que está com fome.

Oferta de boas-vindas

omente para novos clientes, oferecemos o seguinte código para 12% de desconto em seu primeiro pedido.
* Válido para todos os produtos da Nordic Oil

Óleo de CBD 15%
Icons/UI/fast-delivery Entrega rápida
Icons/UI/plant Feito pela natureza
Icons/UI/security Pagamento seguro

CBD e THC – qual é a diferença?

Tanto o THC como o CBD são provenientes da mesma fábrica. O THC encontra-se em quantidades inferiores da planta Cannabis sativa, e em qualidades superiores na planta Cannabis Indica. A planta Cannabis sativa mostra os seus compostos vegetais para exibir várias propriedades quando se trata de THC e CBD. Ao contrário do THC, porém, o CBD não tem propriedades psicotrópicas, o que significa duas coisas:

  1. O CBD não o tornará mocado
  2. O CBD não lhe dará a “fome voraz”.

O CBD (Cannabidiol) é um canabinóide da planta de cannabis que demonstrou propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes tanto em animais, como em humanos. O CBD é uma opção adequada à planta para tratar e gerir a dor. São ainda necessários mais estudos para determinar a gama completa das propriedades potencialmente medicinais do CBD.
O THC, por outro lado, é sobretudo conhecido pelas suas propriedades psicotrópicas, pois liga-se aos receptores de CB1 no cérebro e produz uma reacção química, induzindo uma “alta” para os consumidores. Ao ligar-se a este receptor, é libertada uma maior quantidade da hormona ghrelin da fome. Especialmente quando consumida em grandes quantidades, os utilizadores podem experimentar a “larica”. O THC também altera os sinais cerebrais que de outra forma lhe diriam que está cheio.

Ao contrário do THC, o CBD não se liga aos receptores CB1 ou CB2, mas sim interage com os receptores e activa-os, e assim, não causa uma sensação elevada nem o fará sentir particularmente fome.

O CBD pode ter um impacto no seu apetite?

Se deseja incorporar o CBD na sua rotina diária, não precisa de se preocupar com o aumento dos sentimentos de fome. O CBD pode ter um efeito no seu sistema digestivo, mas apenas no sentido em que reduz a produção de ácido atribuído à azia e ao refluxo ácido.

Ainda não existem estudos conclusivos sobre o impacto do CBD no apetite geral. No entanto, um estudo em animal de 2011 mostra resultados promissores em ratos que o CBD pode ter um impacto sobre os efeitos hiperfágicos e pode, portanto, ajudar a reduzir a ingestão excessiva de nutrientes.

O sistema endocannabinoide e o apetite

O sistema de endocanabinóides (abreviadamente designado por SECB) é um sistema complexo de endocanabinóides, moléculas e enzimas que está presente em todo o corpo humano. Os receptores podem ser encontrados no sistema nervoso central e no sistema imunitário.

Pesquisas sobre este sistema complexo nos últimos 30 anos sugerem que o SECB não é apenas responsável pela homeostase (equilíbrio dentro do corpo), mas também pode afectar o nosso humor, metabolismo, memória, sono e também o apetite.

Os receptores do SECB demonstraram ter um impacto no apetite, como esta investigação demonstra:

“Terapêuticamente, a estimulação do apetite por canabinóides tem sido estudada há várias décadas, particularmente em relação à caquexia e malnutrição associada ao cancro, síndrome de imunodeficiência adquirida, ou anorexia nervosa”.

Certamente, ainda está por determinar de que forma os canabinóides, e em particular o SECB, afectam o apetite, mas a investigação na última década tem sido promissora.

O rápido e curto resumo

  • O CBD não lhe deixara mocado e, por conseguinte, não lhe dará a “fome voraz”.
  • A investigação sobre o impacto exacto do CBD no apetite ainda está na sua fase embrionária, mas os primeiros resultados são promissores.
  • O CBD interage de forma diferente com os receptores do que o THC e é por isso que a resposta do organismo a ela difere consideravelmente.
Conecte-se com usuários de CBD no Facebook
Quer saber mais da experiência de outros usuários do CBD? Você tem perguntas sobre o CBD? Há um grupo ativo de CBD no Facebook.

Publicado por Paula Stipp

Nascida em São Paulo, Brasil, Paula é formada em Publicidade e Propaganda e hoje mora em Munique, Alemanha. Começou sua jornada com o CBD há quase dois anos na Nordic Oil. Além de sempre se atualizar sobre as novidades do CBD, Paula também compartilha sua experiência com seus clientes de Portugal e do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *